Made with Sparkle

Ícaro

Este espetáculo é um convite a visitar-nos numa experiência de escrita múltipla, muitas escritas a muitas mãos: os mitos escrevem-nos, nós re-escrevemos as sua palavras, estas palavras interpelam-nos a escrever pelo desenho, pela imagem,pelo espaço.

É pela boca que temos notícia do som primeiro, e este transforma-se sem descanso: pela manipulação instrumental em primeira mão, em formas visuais através da projecção de materiais plásticos depois, e regressando ao verbo em seguida, já cheio de novas reverberações, cores, e emoções.

da boca para as mãos

agora eu era

Um jogo de transformação que não cessa, mas que não usa apenas as palavras: usa o cinema, a música, a luz e todos os mecanismos de cena para ajudar a uma viagem mais plena. Porque também se pensa com os pés, com os olhos com os ouvidos, e porque uma resposta a uma pergunta tão eterna aparece sempre com a aparência de uma simplicidade enloquecida. Às vezes o que nos guia é um verso, doutras vezes um desenho, a seguir uma canção ou um gesto. E quantas vezes o silêncio.

espelhos

Espelhos é uma viagem ao universo musical do grande musico e guitarrista português, Carlos Paredes. Através do cruzamento performativo entre músicos e um artista plástico navegasse pela poética que esta musica evoca.

musaico

Musaico é um espectáculo musical de corte operático contemporâneo que, de forma celebratória, viaja e reinventa a narração mitológica Grega sobre as Musas, essas nove figuras divinas que seriam as responsáveis pelo mistério insondável da criatividade humana, da inspiração, da descoberta, da memória. Mas aqui perguntamos sem medo por essas mulheres divinas com uma proximidade quase familiar, querendo conhecê-las de perto:

 

Que cantariam as musas, se as libertássemos do jugo de ser vozes de outrem? Elas que são a fonte mesma da vibração, da palavra, da música, da cadência, das amplitudes, das glória, das tragédias, dos saberes, dos ímpetos, dos afagos, dos risos, das melancolias, que cantariam se fossem donas da sua voz? Onde as suas biografias seriam igualáveis a qualquer vitória olímpica? Onde e como estas vozes femininas nos falariam, desde a sua radical diferença, da sua radical autonomia, da sua radical relação com as coisas dos deuses e dos homens?

As musas elas próprias nos visitarão no jardim, para juntos descobrirmos as respostas.